domingo, 29 de julho de 2012

Rapidinhas da cozinha: alcoolismo pode encolher o cérebro

(imagem do google)

Um estudo publicado em maio de 2012 no jornal americano Alcoholism: a Clinical and Experimental Research revela que algumas regiões do cérebro podem encolher com o consumo excessivo de álcool. A experiência comprovou, por meio de ressonância magnética, que camundongos que bebiam diariamente uma solução de 20% de álcool durante seis meses sofreram atrofia cerebral. Isso ocorreu com os animais que não contavam com um tipo específico de receptor de dopamina (neurotransmissor). "O alcoolismo pode levar à atrofia cerebral, tanto do córtex cerebral como do cerebelo. Há uma diminuição da memória, redução do raciocínio e da capacidade de atenção e concentração", diz Antônio Galvão, neurologista do Hospital 9 de Julho, de São Paulo. Ao cessar o consumo de álcool, o volume cerebral poderá aumentar, mas geralmente nunca voltará ao normal. Para o coautor do estudo, Peter Thanos, a experiência contribui para um melhor entendimento do papel da variabilidade genética nos danos cerebrais provocados pelo alcoolismo. E futuramente será possível criar estratégias eficazes de prevenção e tratamento, uma vez que esse padrão de dano cerebral imita a patologia observada em alcoólatras humanos.
(In: Revista Viva Saúde da Editora Escala, no. 108.)

É isso. Tudo é permitido, mas tudo também faz mal, dependendo de nossas escolhas. A diferença está entre o uso e o abuso. Simples assim.

3 comentários:

Cristina disse...

Muita verdade Ângela, "tudo me é permitido, mas nem tudo me convém", o álcool bebido com moderação faz bem a alma, alegra a vida, mas o exagero causa muitos danos à saúde. Acho que em tudo na vida não é? Um grande abraço!!!

Luís Coelho disse...

Nunca li nada sobre esta tese mas sei que em tempos não muito distantes aqui numa aldeia próxima as mulheres bebiam na taberna como os homens e toda a geração que se segui eram deficientes. A professora não conseguia ensinar nada aqueles miúdos
sem higiene com fome e aparvalhados.
Felizmente que as coisas mudaram e a emigração veio arejar aquelas terras.

Pessoalmente acredito que o alcoolismo tira a auto-estima pessoal e a vontade de mudar de vida. Hoje parece que muitos jovens enveredaram pela bebida descontrolada.

Regina Rozenbaum disse...

Sabe que gosto de brindar a vida, de preferência ao lado de amaaados meus...e só! Da convivência com bebedores costumazes e sem limites TÔFORA graças a D'US!!!
Beijuuss n.a.