quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O fim do final

(imagem da internet)

Estranho título, não? Mas é isso mesmo: estive quase a encerrar este blog no ínício de 2011. Não foram os pruridos morais: já disse e repeti aqui que não sou profissional da saúde, nem tampouco nutricionista. Trago tudo muito bem apoiado pelas fontes que cito e as publicações que leio. Portanto, não sofro mais do constrangimento com que comecei a escrever, divulgando informações que juntei ao longo de muitos anos, simplesmente pela alegria de partilhar um conhecimento adquirido por gosto e que pode ser útil a tantas pessoas.

Também não foi o fato de ter poucos seguidores. São poucos, sim, mas muito especiais. É gente que ficou amiga, que veio aqui e se beneficiou com o conteúdo das postagens, que reviu a alimentação como fator de vida saudável e que, também, gentilmente, leu meus escritos sobre minhas experiências pessoais e me incentivou com seus comentários e seu carinho e generosidade.

Não foi isso. A angústia que me assaltou foi que, de repente, comecei a questionar se estava mesmo ajudando pessoas a melhorarem suas vidas através da alimentação, num mundo no qual a pressa e o imediatismo nos leva a comer mal, a comer errado e a sofrer as consequências destes desvios em nome de uma pseudo-realidade que fantasia a felicidade e o bem-estar, além de uma 'entidade sobrenatural' chamada 'ganhar tempo', seja lá o que isso significa.

Porém, eu costumo seguir os sinais.

Estive conversando com uma das amigas que fiz aqui na minha cozinha e falei da minha vontade de parar. Trocamos boas idéias e aí descobri novas possibilidades de ajudar se eu for postando por segmentos, oferecendo às pessoas com os mais diversos problemas de saúde - e também aqueles que querem se prevenir e investir em um futuro saudável - sugestões de alimentos que realmente funcionam. Jamais me esquecendo de que comer também é prazer - mas, no caso da alimentação funcional, um prazer duradouro.

Outro fato me reestimulou. Ler uma das postagens recentes de uma amiga igualmente querida, reforçou a minha certeza de que o mundo está morrendo de tanto comer. A oferta de tantos produtos industrializados, que 'facilitam'(?) a vida de quem, na verdade, tem preguiça, ou não encontra tempo para ir à cozinha preparar para si mesmo e os seus queridos, uma refeição, por mais simples que seja, mas saudável, é um dos fatores, dentre outros, para que mais e mais gente, e cada vez mais jovem, venha sofrendo as mazelas dos males degenerativos. Em um dos cursos de nutrição que fiz, não me lembro qual, alguém disse que a preocupação da Organização Mundial da Saúde é, já fazem uns 20 anos, com a degeneração da espécie humana, por causa dos 'confortos' da vida moderna - aí incluída a alimentação. A nova ênfase da entidade deveria ser, a partir daí, na prevenção.

Uma inversão de valores faz parecer que a felicidade está na facilidade, ou na beleza - quem resiste a um sanduíche com bacon crocante, queijo derretido, folhinhas verdes de alface e umas rodelinhas de tomate para disfarçar e uma carne processada sabe-se lá como, com um copinho daquele refrigerante borbulhante, cheio de aditivos químicos cujos nomes não sabemos o que significa? E os salgadinhos, quanto mais fritos, mais crocantes? E as massas cheias de creme de leite, com umas folhinhas de manjericão por cima, para dizer que 'tem vegetais'? E os biscoitinhos hipersalgados, tão viciantes? E os congelados, que ficam prontos em minutos num bom microondas? Se formos por aí, minha postagem vai se estender indefinidadmente, porque a lista de ofertas é interminável. E afinal, sempre existe alguma solução mágica - e tecnológica - para se 'correr atrás do prejuízo' depois do estrago...

Não vou entrar no mérito da comida como compensação, usada para preencher vazios interiores. Não é minha praia e não sou impertinente. A mídia globalizada, a todo momento, está martelando sobre a tecla das maneiras de se manter saudável - embora seja ela, também, a responsável por nos bombardear e seduzir com os objetos de consumo que criam a ilusão de felicidade, e pelos quais trabalhamos insanamente, nos esquecendo de nós mesmos. Há que ter olhos para ver, ouvidos para ouvir e coragem para fazer escolhas. Além de amor por si mesmo. Quem disse isso, consta, nasceu há mais de 2000 anos.

Depois destes questionamentos, percebi que ainda tenho algo por fazer na minha cozinha virtual. Parecia que havia chegado ao fim da minha contribuição. Mal sabia eu que estava, de novo, começando...

6 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Angela
Tua cozinha e o Divã da Regina estão no ponto.
Que bom que vc não desistiu e descobriu que pode, sim, ajudar muitas pessoas.

Grande beijo

Regina Rozenbaum disse...

Sou realmente uma BIOS!!! Escrevi aos montes rsrs e sem copiar fui ver lá em 2010 quando é que tinha começado o Notícias...agora danou-se, pq não vai sair a mesma coisa rsrs.
Seguinte: Madame Surtô veio dar uma passeadinha por aqui??? Ainda não ouviu, Angelinha amada, o que ELE insiste em lhe dizer??? Tens uma missão, minina...tem e sabe muito bem disso! E aqui é, também, um dos caminhos. Olha bem que belezura de texto nos brinda!!! Ainda bem que "costuma seguir os sinais"...Imagina quantas m....fazemos quando não prestamos a devida atenção???!!! Afff...VIDA LONGA ao Notícias.
Beijuuss, minha amiga, n.c.

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

E só está só começando mesmo, as possibilidades são infinitas.
Seja novamente bem vinda!
Bjs.
wilma
www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

ClaudiaV disse...

A tua cozinha virtual ainda tem muito para dar! :) E eu ca a vou visitando!
Em termos de pecados fast-food tenho 2. Adoro de vez em quando uma pizza hut com cogumelos e ananas. E nao sei pq gosto de sair da quimio e ir direita ao mcdonalds comer uns mcnuggets! lol O meu raciocinio eh: "Depois de levar com a quimio que eh tao quimica... mais um pouco tb nao ha-de fazer mal... e como se diz que se enjoa mais ou menos aquilo que se come quando estamos a fazer quimio pode ser que eu enjoe de vez e nunca mais me apeteça! heheh
Ai... mas depois da operacao vou mesmo para dieta!

Bloguinho da Zizi disse...

Angela
Grata pelo carinho lá no Bloguinho.

Venho te convidar pra conhecer um personagem muito especial neste dia de Reis.
Beijinho

Felipe disse...

Angela, a gente sempre tem que fazer aquilo que gosta e se sente bem.. Se vc gosta da cozinha com certeza está fazendo bem para vc e para muita gente, pois tudo o que é feito com amor é bom.

Hoje temos carência de receitas saudáveis e seu blog é uma fonte de luz para todos.