quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Rapidinhas da cozinha: uma garrafada contra o câncer



Um homem chamado Tapajós, do Pará, conseguiu se curar de um câncer graças a doses diárias do medicamento conhecido no Nordeste como garrafada. Você acreditaria nesta história?

Everardo Ferreira Telles, presidente do Grupo Ypióca, que há 164 anos produz uma das cachaças mais famosas do mundo, acreditou.

E criou, em 2002, a Amazônia Fitomedicamentos, para comprovar os benefícios de um novo fármaco, inspirado nessa antiga receita indígena da garrafada, que reúne o líquido da planta avelós (ouvi falar dela pela primeira vez em 2006, comentário meu).

Cumprindo as etapas de aprovação na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de acordo com Telles, o novo fitomedicamento promete atenuar os sintomas do câncer, ou mesmo curá-lo, sem provocar efeitos colaterais indesejados, como acontece com a quimioterapia.

A fase final da pesquisa, realizada pela Amazônia Fitomedicamentos, trabalha com testes em pacientes com tumores malignos na mama e na próstata. "A intenção é estender os estudos a outras áreas e abranger mais tipos da doença", diz ele, que recorre às garrafadas (as do Nordeste, mas talvez também as da Ypióca) para combater até colesterol alto.

O Grupo Ypióca comercializa 126 milhões de litros de cachaça por ano. Agora, Telles confia - e investiu R$ 40 milhões, nos últimos 11 anos, na área - no conteúdo das novas garrafas para expandir os negócios. No ano que vem, a pesquisa deve chegar à sua terceira e última fase, antes da aprovação comercial.


(Matéria de Bruna Santamarina para a revista Seleções do Reader's Digest brasileira, de dezembro de 2010, pág.19. Visite também selecoes.com.br).

3 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Angela
Eu acredito e muito.
Ótima notícia!!!
Gratidão

Kimbanda disse...

Olá ANGELa, querida amiga.
Vim para estar aqui um pouco à tua companhia, ler e matar saudades. Não tem sido possível aceder à net com o tempo que gostaria, mas soube bem começar por aqui.
Deixo meu kandando com muito carinho e admiração.

lelington disse...

Sou quimico-fitologista,graduado pela UFPR e fiz inumeras pesquisas com aveloz e tenho resultados surpreendentes.
Lelington50@yahoo.com.br