domingo, 19 de setembro de 2010

Mais pimenta, por favor!


(imagem do google)
Comecei a falar dela e tive que parar. Problemas técnicos: machuquei a mão e não conseguia digitar! Como tudo na vida pode se transformar em oportunidade, lá fui eu usá-la como antiinflamatório, uma das muitas qualidades desta ardida frutinha. E não é que funcionou? Em uma semana, meu dedo mínimo voltou ao normal, só porque enchi o prato de pimenta! Sucesso total.
Vivemos em um país privilegiado, onde 'em se plantando tudo dá', como escreveu Pero Vaz Caminha ao rei de Portugal. Por termos o clima certo, produzimos uma infinidade de tipos de pimentas por aqui. Lá no sítio cultivo algumas delas: a mais conhecida, malagueta, cresce pouco e fica linda quando da floração. A flor é branca e perfumada e vai fabricando um fruto rubro quem nem parece filho dela. Tenho também uma bem pequenininha, a cumari, também conhecida como pimenta-de-bode, que dá um arbusto de mais de um metro de altura. É mais suave e pode ser comida in natura por quem aprecia sabores fortes. Tenho ainda a pimenta de biquinho, que uma vez vi espalhada sobre a mesa de um almoço de aniversário cujo prato principal foi um cassoulet. Nada a ver? Disse-me a pessoa que preparou que era para espantar energias ruins e esquentar a festa. Não deu outra: tudo transcorreu no maior alto astral e o aniversariante, que é meu amigo e é músico, tocou piano com outros amigos ali presentes noite a dentro. Olha, foi muito bom!
Felizmente, hoje, nas cidades maiores, temos uma oferta variada de pimentas de nacionalidades, sabores e cores diferentes e podemos incrementar e até inventar iguarias com esta delícia sem culpa, já que ela faz é muito bem à saúde!
Apenas um alerta: cuidado com a conhecida pimenta-do-reino. Deve ser usada com parcimônia e sempre moída na hora, pois irrita a mucosa intestinal da maioria das pessoas.
No mais, tire partido desta saborosa fruta que, além de todas as qualidades de que já falamos, é um afrodisíaco da melhor qualidade, fazendo o sangue circular mais rápido e aquecendo o amor.
Até breve! Um abraço.
Em tempo: lembrei-me de certa vez em que fui a São Paulo e decidi jantar no famoso bairro da Liberdade, onde se encontra comida oriental das mais diversas localidades. Escolhi um restaurante coreano para experimentar e a comida deles é tão apimentada que saí de lá em estado de pura euforia. Muito bom!...

4 comentários:

Kimbanda disse...

Querida Angela, estimada amiga.
Feliz por estares melhor. Feliz por apareceres na minha cubata da "serra..".

Meu sobrinho nascido e criado em Minas, me pediu para comprar pimenta, pois queria prepará-la em óleo vegetal e colocar num frasco a desenvolver, com o fim de apimentar nossas refeições.
Na terra em que vivi, antes de regressar a Portugal, chamava-mos-lhe jindungo e não pimenta. Perfeita confusão que deu, em eu comprar pimenta branca moída e não o que ele queria.
Por isso eu digo que aqui em casa se fala Mineirês - Vamos aprendendo os costumes e nomes das coisas de cada um dos nossos países e na mistura do português com mineiro dá em Mineirês.

Quanto ao (Jindungo) Pimenta (malagueta), não se dispensa em nossa casa, eventualmente com essa ajuda, em minha casa todo o mundo vive com muito calor humano.

Uma óptima semana,
Bjs e kandandos meus

Regina Rozenbaum disse...

Ângela, iluminada, amada!
Então veio a resposta... moída na hora! Mas mesmo assim não quero arriscar naummmm rsrs.
Aqui, aprendeu a "ilustrar" as postagens hein? Muiiiito lindo e tá de PARABÉNS! Adorei nossa prosa by fone...
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Angela Fonseca disse...

Querido amigo Kimbanda, que prazer recebê-lo aqui na cozinha. Interessante que seu sobrinho tenha nascido e sido criado logo aqui nas Minas Gerais! Daí o seu interesse por nós, mineiros. Que bom que vocês comem pimenta todos os dias, ela realmente melhora o humor. Para o homem é muito boa, no quesito 'sexo', porque aumenta a circulação. Adorei a aula de cultura angolana, gosto muito de aprender novos vocábulos em novas línguas.
Uma ótima semana para você também. Beijos

Angela Fonseca disse...

Querida Rê, pois é, finalmente alguém me ensinou, com carinho e paciência, a ilustrar minhas postagens. O conteúdo continua valendo mais, é claro, mas, como já dizia o poetinha, 'beleza é fundamental'. Quero aprender mais, para passar aos meu amigos seguidores boa informação com beleza. Beijos carinhosos e obrigada pelo incentivo. É só o que vem de você, minha linda!