terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Comendo bem o que você já come

Muita gente acha que comer bem - em termos de saúde! - dá trabalho, é chato e não dá prazer. Que comida saudável é sem graça, leva tempo para preparar e faz de você 'minoria alimentar', sem poder compartilhar a mesa com os amigos, coisa tão boa de fazer!
Ledo engano. O alimento pode ser o mesmo, desde que observados alguns detalhes bastante simples.
Quanto comer - volto a bater na tecla: a diferença entre o alimento e o veneno está na quantidade. O ideal, para se reduzir as porções, seria comer um pouco a cada três horas, mas para a maioria isso não é possível. Assim, basta manter um horário regular para as refeições, não deixando um intervalo muito grande entre uma e outra, senão a fome vem com tudo e comemos além da conta. Nos intervalos, uma fruta - que se pode comer em qualquer lugar! -, ou uma barrinha de cereais dão conta do recado.
Como comer - alguns alimentos combinam bem, outros nem tanto. E não é necessário ficar decorando tabelinhas de alimentos compatíveis, porque nosso organismo sabe o que vai bem e o que vai mal, basta que nos observemos com atenção. Se deu aquele peso, aquela preguiça e sonolência, aqueles gases, alguma coisa aconteceu. O aporte de energia gasto para digerir alimentos é o maior esforço que nosso corpo faz para cumprir suas funções. Energia que poderíamos usar para atividades mais nobres e/ou prazerosas. Comeu errado? Nem tudo está perdido! Compense, comendo coisas mais leves ao longo do dia, ou no dia seguinte. Abacaxi, suco de vegetais, vitaminas de frutas são bons compensadores - e deliciosos!
Quando comer: a sabedoria popular cunhou o adágio "de manhã, alimente-se como um rei; no meio do dia como um príncipe; e ao final do dia como um mendigo". Perfeito! Por que? É tudo uma questão hormonal e o processo digestivo. Quando vamos dormir, a digestão se faz mais lentamente e o alimento ingerido permanece por mais tempo no estômago e, depois, no intestino. Resultado? Toxinas, que vão para a corrente sanguínea fazer seus estragos. Nutricionistas recomendam, inclusive, que se coma até três horas antes de ir para a cama, mas se der aquela vontade de atacar a geladeira, ou um pacote de biscoitinhos antes de dormir, resistir é preciso. No lugar, melhor tomar um leite, um suco mais denso e esperar quinze minutos. O cérebro vai entender que alguma coisa foi ingerida e a sensação de saciedade virá, aliviando a ansiedade e melhorando a qualidade do sono.
Esses são apenas alguns parâmetros a serem observados na hora de nutrir o corpo, mas já fazem uma diferença significativa na manutenção da saúde.
Eu acrescentaria: coma com prazer e alegria e ame-se o suficiente para cuidar do bom funcionamento da sua máquina de viver - seu corpo.
Receitinha bônus para os intervalos entre uma refeição e outra:
Nozes (ou outra castanha qualquer)
Meça uma ou duas colheres de chá de algum tempero forte, como curry ou canela, e depois leve ao fogo, com azeite ou um pouquinho de manteiga numa frigideira; junte duas xícaras de nozes descascadas, mexendo sem parar durante um minuto, em fogo médio para alto, até cobrir. Passe tudo para um tabuleiro grande e asse durante dez minutos em fogo alto, sacudindo o tabuleiro uma ou duas vezes, até as nozes dourarem levemente e soltarem um aroma de tostadas. (Mark Bittman, em HOW TO COOK EVERYTHING)
Nozes e castanhas contêm antioxidantes que combatem doenças importantes, ajudam a reduzir o colesterol e, segundo pesquisas recentes e promissoras, aguçam a memória e previnem o câncer de mama.
Salve a mesa e a vida!

4 comentários:

José Luiz Foureaux de Souza Júnior disse...

Salve a mesa e a vida, com a delicadeza e a simplicidade de seus "posts"... Você não tem nada que se preocupar com "gramática", meu bem. Já está toda aprendida, bastar ler cada linha sua. E falo pelo conteúdo, não pela regra viu!!!
Dilícia!
beijinho

PS: notei que o número de seguidores tem aumentado! BRAVO!!!

Angela Fonseca disse...

Salve a mesa, a vida e os presentes raros e preciosos que a vida nos dá: bons amigos!
Eles nos alimentam o espírito. Muitos bjs

Regina Rozenbaum disse...

Ângela Amada
Será que um dia eu aprendo? Meu pecado maior é a gula (já escrevi lá no blog e o povo riu até se fartar). Bem que faço força prá trocar pela luxúria rsrs mas não tem jeito!!!
Comer é realmente uma arte e sou aprendiz dos aprendizes...um dia chego lá, não sei bem onde, mas enquanto isso vou comeeeeendo por causu diquê, é bão dimaaaaiiisss sô!
Beijuuss iluminados n.c.

Angela Fonseca disse...

Será que gula é pecado mesmo? Porque já disseram que tudo que é bom faz mal, é ilegal ou engorda... Pecado nada, prazer! Perfeitamente administrável, é só ficar atento! Um dia você chegará lá, onde seu desejo levar, não é mesmo? Bjs